Roadtrip Day 6: Monterey Bay Aquarium, Carmel e 17 mile Drive

O dia de hoje seria de muitos passeios divertidos e com paisagens encantadoras. Começamos bem cedo acordando por volta das 7h e tomamos café no Denny’s, que ficava literalmente na frente do hotel. O restaurante é uma dessas redes de lanchonetes tipicamente americana, com direito a bacon, ovos e panquecas, mas que serve também refeições para o almoço e o jantar.

De lá fomos visitar a cidadezinha de Pacific Groove, que fica do lado de Monterey. É bem bonitinha e nada turística, por isso nosso passeio lá foi bem curto.

Em seguida, rumamos até o Lover’s Point, que é uma praia com um parque e uma vista linda e que rende fotos maravilhosas.

img_1563

DCIM104GOPRO

Lover’s Point

Acabada a visita voltamos para Monterey em direção ao aquário, que abre às 10h. Como teríamos mais atividades durante o dia, preferimos “abrir o aquário” e ficar lá até a hora do almoço.

DICA: Verifique sempre no seu hotel se existe algum desconto ou promoção para as atrações da cidade. Nós compramos os nossos ticketes para o Monterey Bay Aquarium por menos de $50, com desconto, para dois dias consecutivos, com validade até 2017 na recepção do nosso hotel.

O aquário é muito legal (é o mesmo que aparece no filme “Procurando Dory”), com várias atividades interativas como alimentação dos pinguins, das lontras, parquinhos para crianças, filmes, exposições e claro, várias lojinhas de lembrancinhas, haha.

Você ainda pode tocar em alguns dos animais e ainda ter explicações sobre eles, é muito legal. O aquário possui dois andares e é dividido por setores e tipos de animais e não exclusivamente marinhos. Quando fomos tinha uma exposição sobre os animais do deserto.

DICA: Não coma nada dentro do aquário. Tudo lá dentro é muito caro e com poucas opções. Segure sua fome de pois coma em algum lugar mais gostoso e mais barato. A não ser que você fique lá o dia inteiro.

img_1616

Monterey Bay Aquarium

img_1684-1

A parte das águas vivas é linda ❤

img_1608
DCIM104GOPRO

Sardinhas Everywhere

img_1711

Olha que fofa essa lontra!

Conseguimos visitar o aquário inteiro em mais ou menos 3h30. Voltamos para o carro e seguimos para a cidadezinha de Carmel, onde iríamos almoçar.

DICA: Lembre-se sempre de fotografar o parquímetro, assim você saberá exatamente a hora certa de voltar para o seu carro. No nosso caso nos esquecemos por 1h e quase tomamos uma multa astronômica.

A cidade de Carmel é linda, toda organizada, florida, com ruas bem cuidadas, porém extremamente cara, por isso o mais indicado é se hospedar em Monterey onde os preços são mais acessíveis.

img_1725

Cidade de Carmel, linda demais

Recebemos indicações de dois restaurantes na cidade, Cantinetta Luca e Porta Bella, porém como era segunda-feira, o primeiro estava fechado, então fomos ao segundo. E ainda bem que fomos nele. Sem brincadeira, o MELHOR RESTAURANTE da viagem. Meu Deus. Atendimento impecável, ambiente aconchegante, pratos incrivelmente deliciosos. Indico de olhos fechados. Pedimos um raviolli de steak ao molho de cogumelos ao vinho. DIVINO.

img_0716

Nosso almoço DIVINO

O nosso almoço foi tão bom que não queríamos sair dali. Mas como ainda tínhamos que visitar mais locais, saímos de lá com vontade de quero mais. Aproveitamos que já estávamos na cidade, conhecida pelas grandes obras de artes e artista da região, para conhecer um pouquinho mais de Carmel.

Seguimos para a 17 mile Drive, que é uma estrada que circunda o oceano pacífico e fica dentro de um condomínio fechado. Para você acessar é preciso pagar $10 por carro, e você ainda ganha um mapa da região e fica bem mais fácil se guiar pelos pontos e mirantes do lugar.

Como estávamos em Carmel entramos por esse portão (o condomínio possui 3 – Carmel, Highway 1 e Monterey) e fomos seguindo a numeração do mapa na ordem cronológica. Nesse passeio vimos várias mansões lindas e que davam vontade de morar e ficar ali para sempre.

A paisagem é INCRÍVEL e com vários mirantes repletos de história para você conhecer, além de pontos com mesas de picnic para você lanchar aproveitando o visual. O mais indicado é fazer esse passeio com tempo, porém no nosso caso, nós tivemos que correr um pouco, já que entramos no condomínio já era 15h sendo que o pôr do sol estava acontecendo por volta das 17h, umas vez que estávamos no inverno. Mas, no fim das contas deu tudo certo.

São cerca de 20 pontos de visitação, entre eles campos de golfe, country club, mirantes para o mar, e o mais famoso deles, o Lone Cypress, que é uma árvore que firmou raízes no meio das pedras, sem nenhuma outra árvore de companhia. Outros pontos que também valem a pena a visita são Spanish Bay, Point Joe, Ghost Tree, etc.

img_1757

Spanish Bay

DCIM104GOPRO

img_1794

uma paisagem mais linda que a outra

img_1829

img_1937-1

Lone Cypress

img_1962DCIM105GOPRODCIM105GOPRO

DCIM105GOPRO

O pôr do sol mais lindo

O melhor de tudo foi que o dia ajudou e pudemos admirar o pôr do sol mais lindo da minha vida e ver quão lindo é aquele lugar. Saímos de lá já estava e escuro e fomos até ao Fisherman’s Wharf para pegar um lanchinho para a noite. Enquanto meu namorado pediu um típico sanduíche de caranguejo e camarão eu peguei um fish & chips.

Voltamos para o hotel para comermos e e arrumar as malas, já que o dia seguinte seria de viagem longa de carro.

See ya wanderlusters.

Anúncios

Roadtrip Day 5:Viagem a Monterey

O dia amanheceu bem nublado e chuvoso e agradecemos por não termos nenhum passeio agendado no dia. Iríamos sair de San Francisco e ir em direção a Monterey, cidadezinha linda ao sul de San Fran.

E como não estávamos com pressa, fizemos o percurso (que normalmente dura 1h) parando em vários lugares para apreciar a vista e aproveitar a viagem.

Ao longo do caminho fomos parando em vários mirantes para apreciar a vista, já que estávamos dirigindo pela Highway 1, considerada uma das estradas mais lindas dos EUA, já que ela acompanha o mar, ou seja, durante quase todo o trajeto nós tínhamos o Pacífico como companhia.

img_7532

Dirigindo pela Highway 1

Nossa primeira parada oficial foi na praia de Half Moon Bay.

DICA: Não pare dentro do parque, você terá que pagar uma taxa de $10 para estacionar o carro lá dentro, e é possível estacionar do lado de fora.

Como não sabíamos dessa taxa, paramos lá dentro. O dia estava bem cinza e com muita neblina, e friozinho, daqueles de ficar debaixo das cobertas vendo filme. Queríamos ficar menos tempo, mas como pagamos a taxa ficamos mais, haha.

DCIM103GOPRO

Dois japas em Half Moon Bay

img_1303

Depois seguimos para o Pigeon Point Lighthouse, um farol que também é um hostel da rede Hostelling International. É muito lindinho lá, com uma vista incrível e também com informações sobre o farol (tipo um mini museu) e a vida marinha da região. Vale muita a pena a visita e você não precisa pagar para visitar, mas pode deixar uma gorjeta para contribuir para a conservação do lugar.

img_7555

img_7557

Visão Panorâmica do Farol

img_7573

img_7617-1

img_0680

O farol que está para restauração

O farol não funciona mais já que foi deteriorado pelo tempo, e eles estão arrecadando fundos para a restauração do mesmo.

De lá fomos para o nosso destino final do dia, a cidade de Monterey. Chegamos lá por volta das 15h e fomos em direção a nossa hospedagem, o Hotel Abrego. O hotel é naqueles estilos boutiques e não o café da manhã não estava incluso na diária, mas ele é novo, bem aconchegante e cerca de 10 minutos a pé do Old Fisherman’s Wharf, o antigo pier da cidade.

Ele é uma miniatura do pier de San Francisco, com lojinhas, restaurantes, turistas, mas bem menor se comparado ao de San Fran.

img_7583
Old Fisherman’s Wharf de Monterey

Continuamos a caminhada (longa, porém tranquila) até o Cannery Row, um local que reúne vários prédios que serviam de sede para fábricas de sardinha e que hoje se transformaram em lojas e restaurantes. É lá também que fica o centrinho mais animado da cidade, com os hotéis mais caros e o famoso Aquário de Monterey (aquele que aparece no filme Procurando Dory).

img_7584-pano

A vista durante a caminhada

DCIM104GOPRO

img_7597

Cannery Row

Como já estava escurecendo e estávamos cansados da caminhada, decidimos jantar e escolhemos o famoso e primeiro Bubba Gump (do filme Run Forest Run) do mundo para comer.

Se você não gosta de nenhum tipo de frutos do mar nem vá. Mas para quem gosta é o lugar perfeito. Pedimos dois pratos incríveis e deliciosos que recomendo a todos (e olha que eu não sou muito fã de alimentos marinhos).

DCIM104GOPRO

Run Forrest Run

Depois de alimentados, exploramos mais um pouco o centrinho e voltamos para a casa de uber, pois estávamos cansados.

DICA: Faça tudo durante o dia, pois a cidade, por ser pequena e pacata, por volta das 20h já não tem quase ninguém na rua e os estabelecimentos também estão fechados.

See ya wanderlusters.