Roadtrip Day 12: NFL Game – San Diego Chargers X Miami Dolphins

Começava um dos dias mais esperados da viagem: o dia do jogo de futebol americano. Quando começamos a pensar sobre a viagem eu queria incluir algum jogo da NFL em nosso roteiro. Porém, como estávamos com os dias contados em cada cidade, nós só iríamos se algum jogo acontecesse na cidade certa e no dia certo, haha.

Nós tínhamos 3 opções: assistir o jogo do San Francisco 49ers (em San Francisco), do San Diego Chargers (em San Diego) ou do Los Angeles Rams (em Los Angeles). E coincidentemente no nosso último dia em San Diego teria um jogo do San Diego Chargers X Miami Dolphins. Obviamente, compramos os ingressos e iriamos ver um jogo da NFL.

Os jogos esportivos nos EUA são diferentes daqui do Brasil, e eu vou listar algumas (várias) DICAS para você não se dar mal:

  • Compre o ingresso com antecedência e verifique com muita atenção a área e o seu assento. Nós comprarmos o nosso ingresso no Super Ingressos (que tem uma política de ingressos bem interessante, vale a pena dar uma olhada), porém, quando compramos, verificamos que a nossa seção era parte da área familiar, onde não pode falar linguagem inadequada e nem consumir bebidas alcoólicas (e na hora da compra essa parte não estava discriminada). Portanto, tivemos que pedir reembolso da compra (que foi bem tranquilo) e tivemos que comprar novos ingressos.
  • Procure saber onde é o estádio e como você chegará lá. Como eu já tinha morado em San Diego, preferi ir ao estádio de Trolley (algo como trem/metrô) que saía da frente do nosso hotel e nos deixava dentro do estádio. Assim, não tivemos que pagar estacionamento e nem encarar as filas quilométricas para entrar/sair do estádio. Compramos o 1 Day Pass, que é um passe que você pode ir e vir quantas vezes quiser durante o dia do jogo.
img_2686

1 Day Pass

  • Leia as regras do seu ingresso! Os jogos da NFL são com torcida mista (não tem separação entre um time e outro) e por isso a segurança está sempre em primeiro lugar. Isso significa que você NÃO pode entrar no estádio com mochilas, bolsas, câmeras profissionais, pau de selfie, e nada que possa ser utilizado como uma arma. Você só pode levar bolsas transparentes (que são vendidas pelos times da NFL), que estejam dentro do tamanho pré-determinado, ou carteiras que sejam no máximo do tamanho da sua mão.

    Nós levamos a GoPro com o nosso friendly stick, que é daqueles que não tem extensão, só serve de apoio mesmo, e não nos deixaram entrar no estádio. Nós tínhamos duas opções: deixar no guarda-volume por APENAS $20 obamas, ou deixar em qualquer lugar, pois não entraríamos no estádio com aquilo. O que nós fizemos? Pegamos o trolley de volta para o hotel e deixamos a máquina e o stick lá.

  • Saia de casa com antecedência. Se acontecer algum imprevisto (como foi o meu caso) você terá tempo para resolver seus problemas. Como nós saímos de casa com 2h antes do início da partida, nós não perdemos muito do jogo.
img_2817-1

Let’s go CHARGERS!

img_2792

Assistimos o jogo, tomamos nossa cervejinha, torcemos muito para o Chargers, e o jogo que começou 13h terminou por volta das 17h. Voltamos para o nosso hotel de trolley, e em menos de 1h já estávamos de volta (a logística de transportes em dias de jogos é incrível!.

img_2821

Qualcomm Stadium

Foi uma experiência muito legal e já quero ir em outro jogo!

Como ficamos o dia inteiro no estádio, no sol e torcendo, preferimos pedir comida pelo delivery e ficamos descansando no hotel.

See ya wanderlusters.

Anúncios

Roadtrip Day 11: Praias de San Diego

O dia de sol pedia pé na areia e vistas lindas para o mar, e por isso decidimos conhecer o maior número de praias de San Diego possível. Porém nós não conseguimos conhecer muitas, uma vez que era sábado (todo mundo vai para a praia) e era impossível estacionar, ou seja, demoramos muito para achar vagas decentes e de graça (você tem a opção de pagar $5 a hora em um estacionamento).

DICA: Procure bem por vagas que tenham o limite de 2h ou mais de graça, vale a pena ter paciência e procurar por essas vagas, do contrário você irá gastar uma boa grana com estacionamentos.

Começamos por La Jolla, que é uma praia conhecida pela “caverna” que tem em uma parte de sua extensão. Além disso ela abriga um berçário de focas, e você pode chegar bem pertinho delas (porém ninguém se responsabiliza se elas te atacarem, hahaha).

img_8045

La Jolla

img_5194

Hello foca!

Andamos pela praia, vimos e colocamos os pés no gelado Oceano Pacífico, e fomos para a nossa próxima praia, Pacific Beach. Sem dúvidas, era a mais cheia de todas, e mais difícil de estacionar, porém a melhor praia para aproveitar.

A praia é famosa por seu pier e o Cystal Pier Hotel que fica em cima dessa pier. Por curiosidade, fomos olhar as reservas para esse hotel, e para você se hospedar nele no verão americano (de maio a agosto) você deve realizar sua reserva com 1 ANO DE ANTECEDÊNCIA. E se for para o inverno, de 6 a 8 meses de antecedência, hahaha.

img_5238

O pier de Pacific Beach e o Hotel 

O pier feito de madeira, balança bastante, tanto por causa do vento quanto pelo movimento das ondas. Em Pacific Beach também existe um calçadão bem legal, onde as pessoas correm, andam de bicicleta, ou apenas passeiam com a vista da praia, vale o passeio.

img_5231

pouco vento -sqn haha

img_8055

img_8054

Depois de conhecer Pacific Beach fizemos a burrada de sair da vaga que nós tínhamos achado para procurar um lugar para comer, e por isso vivemos uma aventura até achar algum lugar bom e relativamente vazio para comer. No fim das contas estacionamos em um lugar muito longe em Ocean Beach e comemos em um restaurante de noodles, eu pedi um frango teriyaki e o meu namorado um noodles tradicional. Não foi um restaurante que marcou a viagem, mas pelo menos a gente não morreu de fome.

Fomos então conhecer o pier de Ocean Beach, que é o maior pier de concreto da costa Oeste dos EUA. E apesar do sol, no fim do dia batia um ventinho que esfriava. Por lá vimos surfistas, músicos, aventureiros e pessoas de todos os tipos que estavam ali para admirar a paisagem.

img_2682

Ocean Beach Pier

img_5263

img_5280

Surfistas aproveitando o fim de tarde

img_5291

O céu maravilhoso de San Diego

Apesar do sol já ter ido embora, ainda passamos em Coronado, uma ilha onde fica o famoso resort Hotel Del Coronado. Porém como já estava escuro (e frio) decidimos voltar para o hotel. Lá, ficamos procurando um lugar para comer, e como eu estava com muita vontade de comer carne, decidimos ir ao Hunter Steakhouse. Atendimento bom, pratos deliciosos, porém o preço era um pouco mais alto do que os outros restaurantes que fomos, mas mesmo assim vale a pena.

img_8108

Depois de jantar, voltamos para o hotel.

See ya wanderlusters

Roadtrip Day 10: San Diego Zoo

O dia começou lindo, quente e com planos para visitar o famoso Zoológico de San Diego, um dos maiores e mais famosos do mundo. Decidimos conversar com os funcionários do nosso hotel (sempre faça isso para saber mais dicas do lugar e curiosidades) e conseguimos descontos na compra dos dois ingressos e ainda não pegamos fila para comprar ingresso e nem entrar no parque.

O passeio no parque leva um dia inteiro, caso você queira conhecer todas as áreas do zoológico. O nosso tipo de ingresso incluía o tour de ônibus, que dura aproximadamente 40 minutos e você consegue ver grande parte do zoológico sem ter que andar, o passeio de teleférico (Sky Tram/Skyfari), que cruza o parque, e caronas de ônibus (Kangaroo Bus) com paradas específicas para que você ande menos. Confira e veja qual é o seu tipo de ingresso e quais benefícios estão inclusos nele.

Começamos com o tour, pois assim saberíamos o que iríamos visitar depois a pé.

DICA: Vá na parte superior do ônibus. Apesar do sol (use chapéu e passe bastante protetor solar) você consegue ver muito mais dos animais do que na parte inferior.

Durante o tour o motorista vai parando em pontos estratégicos para que as pessoas consigam ver e fotografar os animais, além de contar mais sobre as histórias e curiosidades de cada espécie.

img_4875

Vista do ônibus, da área do urso polar

img_4848

Flamingos

Depois do tour decidimos andar a pé pelo parque e ver mais de perto os animais e começamos pela área dos Pandas, já que ela é uma das mais concorridas e também fecha mais cedo que as demais. E eu, alucinada com esse urso, tirei milhões de fotos e queria ficar o dia inteiro olhando para esse animal fofo.

img_5002

Urso Panda *-*

DCIM106GOPRO

DCIM106GOPRO

A loka dos pandas

Continuamos então o nosso conhecimento a pé pelo parque e decidimos almoçar por lá mesmo..

DICA: Na entrada do parque é possível pegar um mapa do zoológico, o que permite que você organize o seu passeio, saiba em quais pontos ir e onde ficam os restaurantes do complexo.

img_8033

Flamingos

img_4917

Elefantes

img_4972

Girafas

img_5072

img_5145

Hipopótamo

img_5155

Tigres

img_5173

Gorilas

img_5178

Baby Gorila

Ficamos literalmente o dia inteiro no zoológico e aproveitamos o máximo, porém como o lugar é muito grande, fica difícil conhecer tudo em um único dia. Mas valeu a pena a visita.

DCIM106GOPRO

San Diego Zoo

Eu sei que algumas pessoas não gostam muito de zoológicos por causa dos bichinhos e as vezes dá dó deles mesmos. Porém, o de San Diego possui diversos programas de proteção dos animais, reintegração no habitat natural e já até ajudou a tirar algumas espécies da lista de extinção. Até mesmo o urso polar, que vive em um ambiente ártico e está na califórnia, não sofre com a temperatura uma vez que a dieta e o ambiente onde ele se encontra são adaptados e específicos para que o animal não sofra e tenha boas condições de vida em cativeiro. Vale a pena conferir.

Depois do zoológico, voltamos para o hotel para arrumarmos e fomos jantar em Little Italy, o bairro italiano de San Diego. Quando eu estive na cidade em 2012, eu tinha almoçado lá e comido a melhor lasanha do mundo, e dessa vez queria porque queria voltar nesse mesmo restaurante para comer de novo. Eis que depois de muitas pesquisas no Google, descobrimos e fomos jantar no Mimmo’s. Muuuito bom gente, vale a pena.

img_2531

Gnochi de quatro queijos

img_2530

img_2532

Little Italy

Depois de alimentados, fomos andar um pouco por Little Italy e conhecer a região, e depois voltamos ao hotel.

See ya wanderlusters.

Roadtrip Day 9: Viagem à San Diego e Outlet na fronteira com o México

O dia 9 da viagem foi tranquilo, já que não estávamos com a programação cheia, então aproveitamos para fazer uma viagem tranquila até San Diego.

Saímos do nosso Aibnb por volta das 10h da manhã, abastecemos o carro e tomamos café no Mc Donald’s (o nosso almoço completo deu $10 para os dois, haha). Seguimos viagem e só paramos quando chegamos no nosso hotel, o Old Town Inn, por volta das 15h.

O nosso hotel era bem no centrinho da cidade, do lado do Trolley (trem/metrô), foi a acomodação com a diária mais barata da viagem. O custo benefício valeu muito apena, porém, por ficar perto de Old Town, ao redor do nosso Inn tinham vários mendigos. Nós não vimos nada perigoso ou que nos alertasse de perigo, mas preferimos sempre sair de carro ou uber, e não a pé como pretendíamos.

Aproveitamos que não tínhamos nenhum programa para o dia e fomos até o Las Americas Premium Outlets, que é um outlet gigantesco em San Diego e que fica bem na fronteira com o México. Como eu já morei por um mês em San Diego em 2012, eu já conhecia a cidade e o outlet, porém meu namorado não, e ele estava muito animado para conhecer a fronteira.

O caminho até o outlet é um pouco longe e ao longo do caminho você vê várias placas indicando a cidade de Tijuana, que é a primeira do México depois da fronteira. Fato engraçado: eis que o Renato pergunta “Imagina se alguém não vê as placas e cai acidentalmente no México? Hahaha. Será que tem alguma que diz última chance de ficar nos EUA?” e é exatamente assim que acontece.

Estávamos com o GPS e eles indicava o caminho até o outlet, mas para você chegar até ele você realmente passa por uma placa que está escrito “último retorno para os EUA” hahaha. Infelizmente não consegui tirar foto 😦

Chegamos no outlet, mas não fomos fazer as compras. A curiosidade do meu namorado era gigantesca, hahaha, e ele precisava ver como era a fronteira, como era a passagem dos carros, etc. Outro fato engraçado: como estávamos muito perto do México o celular dele interpretou que já estávamos no país e mandou automaticamente mensagens relatando sobre os custos de ligações e mensagens no México, haha.

img_2473

Fronteira entre San Diego (EUA) e Tijuana (México)

img_2474

Os carros indo para o México

Curiosidade: eu nunca atravessei a fronteira, mas dizem que para ir de San Diego a Tijuana você gasta cerca de 10 minutos, agora para fazer o caminho contrário você pode gastar aproximadamente 5 horas!

Muitas pessoas fazem esse caminho todos os dias, seja para ir a escola, fazer compras, trabalhar ou passear a turismo. A funcionária da recepção do nosso hotel disse que muitas pessoas chegam a San Diego através do aeroporto de Tijuana e da alfândega americana, que fica bem perto da fronteira e os vôos para lá são mais baratos (fica a dica para quem quiser tentar).

Quando eu fui em 2012 era possível avistar uma bandeira gigantesca do México, afixada em Tijuana, porém desta vez, agora em 2016, só era possível ver a imponente bandeira dos EUA.

580837_344425875637754_2124542674_n

Em 2012, com a bandeira e o México ao fundo

Depois de várias fotos tiradas e a curiosidade saciada, fomos enfim às compras. Preferimos comer algo no Subway antes começar de fato as compras, pois nós não tínhamos almoçado. Compramos algumas coisinhas e por volta das 19h já estávamos voltando para o nosso hotel.

Nos arrumamos e nos preparamos para conhecer o bairro mais animado da cidade, o Gaslamp Quarter, um quarteirão cheio de baladas, bares e restaurantes legais e repleto de jovens. Decidimos por comer no Burguer Lounge, uma burgueria que se preocupa bastante com a procedência dos seus alimentos (por exemplo as carnes de lá são somente de vacas que são alimentadas com grama). Os hambúrgueres e o atendimento de lá é muito bom, vale a pena.

Depois passeamos um pouco pelo Gaslamp, vimos a movimentação da cidade e voltamos para o nosso hotel.

See ya wanderlusters.

 

 

Dream of Californication

Então gente, faltam 15 dias! 15 dias! Adivinhem quem estou surtando?

Está tão perto que eu agora sou uma mistura de sentimentos, sensações, expectativas, medos, etc que tá uma loucura. HAHAHA.

E para dar uma relaxada desse estresse de prazos na faculdade e obrigações a cumprir antes da Disney eu fui no show do Red Hot Chili Peppers ontem! Foi SENSACIONAL!

74928_545726272174379_206173118_n

Na verdade o show era uma das atrações do Circuito Cultural do Banco do Brasil – Não. Não vou comentar sobre o evento e sua infraestrutura que deu o que falar e sim somente sobre este show. Ah, e outro show que foi bem legal foi o do Jota Quest, que foi no fim de tarde, com um pôr do sol maravilhoso, e ainda tinha espaço para circular no festival, haha.

Eu fui mesmo para ver o RHCP, que eu sou fã e que JAMAIS na minha vida imaginaria que eles fariam um show em BH. E o que que isso tem a ver com a Disney ou com viagens? Então, tem a ver o fato que eles são os donos da música Californication, e que na hora que eles tocaram essa música a única coisa que veio na minha cabeça foi: SAN DIEGO, CALIFÓRNIA, julho/2012.

SIIIIIIM, meu intercâmbio que eu fiz ano passado para essa cidade maravilhosa e que tem um lugar especial no meu coração. Vocês não tem noção do tanto que eu sinto falta destes dias, dessa cidade, dessa viagem. É claro que depois da Disney, vou escrever posts sobre dicas e sobre a minha experiência na Califa, mas me deu muita vontade de vir aqui e comentar sobre lá.

IMG_4887 1391682_546093068804366_968198755_n

IMG_4448

Na verdade não comentar, e sim falar, expressar essa saudade de SD e a ansiedade que eu tô para Disney e para NY, que serão viagens completamente diferentes.

Amanhã é dia de entrevista no consulado do Rio! Dia de rever a cidade maravilhosa. Good luck for me!

See ya wanderlusters